TÉCNICAS DE ESTUDO

TÉCNICAS DE ESTUDO

Olá Doutores!

 

Hoje vamos falar de técnicas de estudo. A pretensão do site é compilar assuntos e matérias existentes também em outros endereços virtuais, que irão certamente influenciar positivamente a vida do nosso leitor, melhorando atuação profissional e a vida pessoal. Assim, passo a vocês um estudo divulgado pela revista científica Psychological Science in the Public Interest.

 

É ilusório pensar que após alcançar o tão almejado diploma profissional você irá apenas prestar serviços na sua área de atuação e não precisará mais passar grandes períodos estudando. O estudo é a arma mais poderosa que o profissional tem nas mãos, principalmente o Advogado que precisa debater com a parte contrária e convencer o Juiz que seus pedidos devem ser julgados procedentes. Quanto mais sabemos sobre determinado assunto, mais interessante nos tornamos, e, mais credibilidade passamos para as outras pessoas.

 

Ademais, o Advogado precisa passar na prova da OAB para poder advogar, eu na época que me formei, não fiz cursinho, estudei apenas resolvendo provas antigas e realmente deu certo! Você alia o conhecimento teórico e visualiza a aplicabilidade prática fixando o conteúdo.

 

Assim, não apenas o docente ou o concurseiro devem estar debruçados em livros estudando e aprendendo, mas também os Advogados. Este precisa estar constantemente atualizado e estudar muito! Além das modificações legais existentes, o Direito é muito dinâmico, e a interpretação das normas acompanha este dinamismo.

 

Pensando nisto, venho compartilhar um estudo, ao qual compartilho da mesma conclusão, pois verifiquei os resultados na minha vida e na minha aprendizagem, no sentido de que não adianta focar apenas nas doutrinas e legislação, é necessário resolver provas de concurso, no caso do Advogado, pegar casos práticos e escrever sobre o tema também ajuda. Não basta amar ler, precisa amar escrever e resolver provas para que exista um equilíbrio entre conhecimento e prática. Tudo irá depender do seu objetivo final.

 

Porém, ressalto que independente da conclusão abaixo apresentada, cada um é que irá verificar o melhor método de estudo. Mas ressalto, a prática acelera o conhecimento, e quem é concurseiro, por exemplo, precisa amar resolver provas. (fonte: concurseiros24horas.com.br)

 

1 – Grifar (menor utilidade entre as técnicas de estudo)

Conforme estudo realizado, grifar textos é pouco efetivo já que não requer muito esforço. “Ao fazer um grifo, seu cérebro não está organizando, criando ou conectando conhecimentos”.

2 – Releitura (utilidade baixa)

Via de regra, reler um conteúdo é menos efetivo que as demais técnicas apresentadas. No entanto, caso o Leitor não tenha compreendido o texto, deve sim ler novamente, mas isto não significa que irá necessariamente fixar a matéria.

3 – Visualização (utilidade baixa)

O grande exemplo é o mapa mental. “Os pesquisadores pediram que estudantes imaginassem figuras enquanto liam textos. O resultado positivo foi apenas em relação a memorização de frases, em relação a textos mais longos, a técnica mostrou-se pouco produtiva”.

  1. Resumos (utilidade: baixa)

O resumo é útil sim para provas escritas mas não para provas objetivas. Esta técnica é mais útil que grifar e reler textos. Assim, deverá o estudante aliar o conhecimento teórico com o prático.

6 – Interrogação elaborativa (utilidade: moderada)

Questionar os fatos, “criar explicações que justifiquem por que determinados fatos apresentados no texto são verdadeiros”.

7 – Auto-explicação (utilidade: moderada)

Leu algum artigo, agora explique o conteúdo a você com suas próprias palavras. Segundo apresentou o estudo das técnicas, a utilidade deste método é maior se aplicada dentro do estudo e não após sua conclusão.

8 – Estudo intercalado (utilidade: moderada)

Intercalar tópicos e não ficar debruçado apenas em determinada matéria “faz com que a pessoa fique mais tempo estudando”.

9 – Teste prático (utilidade: alta)

Realizar testes práticos sobre o que você está estudando é uma das duas melhores maneiras de aprendizagem”.

10 – Prática distribuída (utilidade: alta)

“Pesquisas mostram que o tempo ótimo de distribuição das sessões de estudo é de 10% a 20% do período que o conteúdo precisa ser lembrado. Assim, se você quer lembrar algo por cinco anos, espaçar o aprendizado a cada seis meses, se quer lembrar por uma semana, estudar uma vez ao dia”.

Espero atingir meu maior objetivo que é auxiliar o querido leitor naquilo que ele precisa.

Qual técnica você utiliza? Compartilhe conosco.

Beijos

Marcia Menegassi

Ah! Dúvidas mais específicas estou disponível no e-mail: marcia@marciamenegassi.com.br terei o maior prazer em lhe ajudar.

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *